Carlos Aguiar

Natural do Porto e licenciado em Engenharia Mecânica pela FEUP, estudou posteriormente Arquitectura na Escola Politécnica Federal de Lausanne na Suiça e na Faculdade de Arquitectura da UP. Realizou uma pós graduação em Design de Equipamento e Produtos no Instituto de Design da Universidade do Porto. Obteve o grau de Mestre em Desenho Industrial pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto. Finaliza actualmente o doutoramento em Design na Universidade de Aveiro.

Leccionou na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, no Instituto Superior de Engenharia do Porto, no Instituto de Design da Universidade do Porto, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e é actualmente professor convidado da Universidade de Aveiro, no Departamento de Comunicação e Arte sendo um dos responsáveis pela condução pedagógica da Licenciatura em Design. Em 2005 é nomeado Director da Licenciatura em Tecnologia e Design de Produto da Escola Superior Aveiro Norte (ramo de ensino Politécnico da Universidade de Aveiro). A convite do Ministério da Educação coordena a equipa que elabora em 2005 e 2006 os novos programas de Projecto dos cursos de Design de Produto do Ensino Artístico Especializado do 11º e 12º ano do ensino secundário. Desempenha desde 1992 funções de Consultor Sénior do Centro Português de Design e desde 2007 desempenha as funções de Director Geral de Design e Desenvolvimento de Produto das empresas do Grupo Cifial.

Recebeu por três vezes o “Prémio Design para a Industria” do Centro Português de Design em 1992 e1994.

Nesse mesmo ano, foi-lhe atribuído o primeiro “Prémio Designer” conferido pelo “pela contribuição demonstrada para a afirmação do design Global das empresas, assim como dos métodos utilizados na investigação, concepção e desenvolvimento de novos produtos. Em 1997 foi finalista do Prémio Europeu de Design com a empresa Cifial e participou na respectiva exposição no Forum “La Villete” em Paris. Em 2001 obtém o prémio “DESIGN PLUS ISH” em Frankfurt, Alemanha e em 2002 o “GOOD DESIGN Award” atribuída nos EUA pelo Chicago Athenaum – The Museum of Architecture and Design e “RED DOT 2002” atribuída pelo Design Zentrun Nordrhein Westfalen em Essen na Alemanha. Ainda em 2001 é escolhido como exemplo de designer industrial no “Dicionário das personalidades Portuenses do Sec. XX” de Germano Silva e Luís Miguel Duarte, edição da Sociedade Porto 2001. Em 2002 obtém o Prémio Nacional de Design, Trofeu Sena da Silva conferido pelo Centro Português de Design. Em 2003 quatro dos seus trabalhos foram integrados na colectânea “Best Of” do Design Português e a torneira Panda incluída numa colecção de 9 selos emitidos pelos CTT como marcos do design industrial do séc.XX em Portugal. Em 2004 é convidado pelos curadores do Ministério da Economia da República Federal Alemã a apresentar a Techno 465 ao Concurso Rat Fur Formgebund uma das mais altas distinções da área em todo o mundo. Concorre ao IF Product design award 2005 em Hannover com 3 projectos de novas ferragens, atingindo os três a fase final da competição.

Ainda este ano, recebe pela segunda vez a menção “Good Design” nos E.U.A:, desta vez pela linha de ferragem de porta Techno “Bionic”. Em 2006 recebe em Tóquio o Good Design G-Mark Award da Japan Industrial Design Promotion Organization (JIDPO) com a garrafa de gás propano ultra leve CoMet. Ainda em 2006 obtém na Alemanha a menção GOLD do IF 2006 Industrial Forum Award em Hannover e o Award Globe Packaging 2006 do Museu da Embalagem de Nuremberga e em 2007 o ReD Dot Award em Essen agora com a versão alta da mesma garrafa CoMet .

Os seus trabalhos estiveram representados em várias exposições de design em Portugal e no estrangeiro, bem como em museus na Alemanha e E.U.A. É autor de várias centenas de projectos de design industrial sobretudo na área metalomecânica (torneiras, louça metálica, válvulas, ferragens e máquinas ferramentas), plásticos, cerâmica decorativa e sanitária. Dedica-se a uma abordagem global do design industrial, cobrindo desde o projecto dos artefactos à definição de estratégias de gamas e seu posicionamento na oferta das empresas, até aos ambientes e abordagens gerais de imagem corporativa.